Procurar:
Buscador avançado
Procurar
  English
  Español
  Français
  Italiano
Português
INÍCIO PROCURAR CONTATO
ACESSOS
Apresentação
A Escola Una
Os Congressos
Anuário
Conexões
FEEP
RadioLacan.com
Lacan Quotidien
LC Express
LC Express
EFP
FAPOL
A respeito da AMP » Conexões
APRESENTAÇÃO
CONEXÕES COM O CAMPO PSICANALÍTICO
CONEXÕES COM REFERÊNCIAS VIRTUAIS NA OBRA DE LACAN
CONEXÕES COM OUTRAS ÁREAS DA CULTURA
 
 
CONEXÕES COM REFERÊNCIAS VIRTUAIS NA OBRA DE LACAN

Inclui-se aqui algumas conexões que permitem aceder virtualmente a autores, temas, textos ou obras às quais Lacan se referiu em seus seminários ou escritos, e sobre os quais encontram-se diferentes espaços na rede.

Seguindo os endereços virtuais dos espaços selecionados, encontram-se transcritas e situadas citações bibliográficas correspondentes. Em alguns casos, pode-se fazer uma consulta mais ampla sobre as mesmas na publicação do Campo Freudiano na Argentina Referencias en la obra de Lacan.

Espaços web selecionados:

Marcel Duchamp
James Joyce
Jorge Luis Borges
Leonardo Da Vinci
Georg Cantor
Francisco de Goya
 

The Marcel Duchamp World Community
http://www.marcelduchamp.net/

Este espaço anglo-fônico oferece um lugar para o encontro com as obras, publicações e acontecimentos relacionados com Marcel Duchamp e seu amplo círculo de amigos dentro dos movimentos Dada e surrealista.

Lacan se refiere a Duchamp en más de un momento de su enseñanza. Se ha seleccionado esta cita:

Lacan se refere a Duchamp em mais de um momento de seu ensino. Selecionou-se esta citação:
"(...) a interpretação sempre deve ser (...) o ready made, Marcel Duchamp -para ver se com isso pescam algo. Nossa interpretação deve apontar ao essencial que há no jogo de palavras para não ser a que nutre o sintoma de sentido".
("A Terceira")

Pode-se ampliar a consulta sobre M. Duchamp no N° 26 de Referencias en la obra de Lacan.

 
 

The Brazen Head
http://www.themodernword.com/joyce/

Este local anglo-fônico convida o visitante a obter informações sobre James Joyce e sua obra, assim como a desfrutar do mundo deste "irlandês encantadoramente louco", tal como o apresenta o responsável deste espaço.

A escritura joyceana teve uma enorme importância nas elaborações de Lacan durante o último período de seu ensino. Na continuação, a citação escolhida:

"Joyce, acho mesmo que não seja legível – não é certamente traduzível em chinês. O que é que se passa em Joyce? O significante vem rechear o significado. É pelo fato dos significantes se embutirem, se comporem, se engavetarem, – leiam Finnegan's Wake – que se produz algo que, como significado, pode parecer enigmático, mas que é mesmo o que há de mais próximo daquilo que nós analistas, graças ao discurso analítico, temos de ler – o lapso". (Seminário 20: Mais, ainda, cap. III)

 
 

Centro Borges
http://www.hum.au.dk/Institut/rom/borges/borges.htm

Este espaço é do Centro de Estudios y Documentación "Jorge Luis Borges", um instituto universitário dedicado a estudos borgesianos em relação com a filosofia, a semiótica e a literatura comparada. Está situado na Universidade de Aarhus (Dinamarca) e põe seus meios à disposição de todos os investigadores interessados no tema. As línguas de trabalho são o inglês, o francês e o espanho

Lacan cita Borges em uma nota de pé de página em seus Escritos e alude novamente a ele no Seminário 16. Transcreve-se aqui o parágrafo dos Escritos com sua nota:

"Seria preciso que a carta, dentre todos os objetos, fosse dotada da propriedade de nulubiedade, para nos servirmos desse termo que o vocabulário celebrizado pelo título de Roget retomou da utopia semiológica do bispo Wilkins?*
*Nota: A mesma a que o senhor Jorge Luís Borges, em sua obra tão harmonizada com o phylum de nossas colocações, dá um destino que outros reduzem a suas justas proporções (...)".
(O seminário sobre "A carta roubada", em Escritos)

Pode-se ampliar a consulta a esta referencia no N° 11 de Referencias en la obra de Lacan, onde se esclarece que o texto de Borges é "O idioma analítico de J. Wilkins", (em Outras inquisições).

 
 

Museo Nazionale della Scienza Leonardo da Vinci
http://www.museoscienza.org/leonardo/default.htm

Artcyclopedia
http://www.artcyclopedia.com/artists/leonardo_da_vinci.html

Ambos espaços, multilingues, oferecem uma vasta informação sobre a vida, manuscritos, obras de arte e invenções de Leonardo da Vinci, assim como conexões com distintos museus onde se expõem sua obra.

Lacan se refere a este artista renascentista especialmente em um de seus seminários. A citação:

"A Sant’ Ana está bem longe de ser, contrariamente ao que diz o Sr. Kris, uma invenção de Leonardo. Nem mesmo Freud acreditou por um só instante que o tema Ana, a Virgem, o Menino, e o quarto personagem aqui introduzido fosse uma invenção exclusiva de Leonardo da Vinci".
(Seminário 4: A relação de objeto, cap. XXIV)

Pode-se ampliar a consulta a esta referência no N° 29 de Referencias en la obra de Lacan.

 
 

http://www-gap.dcs.st-and.ac.uk/~history/Mathematicians/Cantor.html

http://www.shu.edu/projects/reals/history/cantor.html

Estas duas páginas em idioma inglês oferecem biografias de Georg Cantor e também permitem fazer conexões com espaços dedicados a distintos conceitos abordados por este matemático, assim como a outros matemáticos com os quais manteve laços de trabalho ou amizade.

Lacan se refere a Cantor em distintos momentos de seu ensino, por exemplo, quando disse:
"Não estou seguro (...), que este maravilhoso, este sublime desdobramento moderno da lógica matemática, esteja sem relação com o que está suspenso de se há ou não um ato sexual. Basta escutar o gemido de um Cantor; é sob a forma de um gemido que em um momento dado de sua vida enuncia que não se sabe que a grande dificuldade, o grande risco da matemática, é ser o lugar da liberdade. Sabe-se que Cantor pagou muito caro".
(Seminário 14, A lógica do fantasma, classe de 10/5/67)

 
 

Exposición virtual Info-Goya
http://goya.unizar.es/

Este espaço, em idioma espanhol e inglês, oferece uma informação muito ampla sobre a vida e obra de Francisco de Goya y Lucientes. Também permite aceder ao catálogo de pinturas e a uma mostra virtual. Entre suas gravuras se pode apreciar El sueño de la razón produce monstruos, No hay quien nos desate e El disparate matrimonial, nas seguintes e respectivas direções:

http://goya.unizar.es/InfoGoya/Obra/Catalogo_/Grabado_/C75p.html
http://goya.unizar.es/InfoGoya/Obra/Catalogo_/Grabado_/C43p.html
http://goya.unizar.es/InfoGoya/Obra/DisparatesIcn.html

Segue uma das citações em que Lacan se refere a Goya:
"É por Freud não ceder quanto à originalidade de sua experiência que o vemos coagido a evocar nela um elemento que a governa para além da vida – e que ele chama de pulsão de morte".
A indicação que Freud aqui fornece àqueles que se dizem seus seguidores só pode escandalizar aqueles em que o sono da razão se alimenta, segundo a fórmula lapidar de Goya, dos monstros que gera"
.
(O seminário sobre "A carta roubada", nos Escritos)

Pode-se ampliar a consulta sobre as referências a Goya nos N° 9 e 20 de Referencias en la obra de Lacan.

 

AS ESCOLAS
DA AMP >>
EBP ECF ELP EOL NEL NLS SLP